terça-feira, 30 de junho de 2009

Artrite Psoríaca



A artrite psoríaca pode afectar qualquer articulação do corpo. Quando a psoríase afecta as unhas (formando sulcos nas unhas, causando espessamento ou alterando sua coloração), as articulações das pontas dos dedos estão particularmente propensas a desenvolver artrite. A artrite psoríaca também pode causar inchaço dos dedos das mãos e dos pés (dedos em “salsicha”), uma condição conhecida como dactilite, que pode ser confundida com infecção. Os sintomas da artrite psoríaca variam em natureza e intensidade, e podem sofrer alterações numa mesma pessoa com o passar do tempo. Nalgumas pessoas, a artrite psoríaca afecta a mesma articulação em ambos os lados do corpo (p. ex. ambos os joelhos). Em outras, uma articulação é afectada e a outra não (p. ex. um dos joelhos). Algumas vezes, apenas os dedos das mãos e dos pés são afectados. A coluna vertebral pode ser afectada, resultando em dificuldade para se curvar, caminhar, etc. Da mesma maneira que acontece com a condição cutânea a que está associada, a artrite psoríaca pode causar sintomas que surgem periodicamente, ou sofrem agudizações cíclicas, que podem de repente desaparecer, embora inicialmente se acreditasse que a artrite psoríaca fosse uma doença de intensidade leve e não progressiva (ou seja, que não pioraria com o passar do tempo).

A causa exacta da artrite psoríaca é desconhecida, mas os pesquisadores suspeitam que o distúrbio se desenvolva devido a uma combinação de factores genéticos (hereditários) e ambientais (externos). Até 40% das pessoas com artrite psoríaca possuem uma história familiar de psoríase ou artrite, indicando que estão propensas a desenvolver artrite devido à sua constituição genética, especialmente quando o seu sistema imunológico é estimulado por um factor ambiental, tal como uma infecção. (A psoríase em si não é infecciosa, mas ocasionalmente pode ser desencadeada por uma infecção da garganta por estreptococos).

A artrite psoríaca geralmente desenvolve-se entre os 30 e os 50 anos de idade, mas pode ter início na infância. Homens e mulheres estão igualmente em risco. Somente cerca de 15% das pessoas com psoríase desenvolve artrite psoríaca. Algumas vezes, a artrite pode desenvolver-se antes do início da alteração cutânea (psoríase). O diagnóstico da artrite psoríaca é feito com base nas características clínicas típicas da doença. As articulações podem estar inchadas e doloridas. Exames de sangue de alguns pacientes irão revelar uma taxa de sedimentação eritrocitária (ERS) elevada (um exame de sangue que avalia a inflamação), anemia leve e níveis elevados de ácido úrico.

A artrite psoríaca é uma forma de artrite crónica e, em algumas pessoas, é intermitente e de intensidade leve; noutras pessoas, pode causar artrite persistente, que pode causar dano articular se não for tratada. Para a maioria das pessoas, os tratamentos adequados irão aliviar a dor, proteger as articulações e manter a mobilidade.

6 comentários:

Ritissima disse...

Tenho psoríase na unha do polegar direito há mais ou menos 9 anos. A única médica(passei por incontáveis médicos sem que nenhum soubesse o que eu tinha, até cirurgia fiz na unha só piorando a situação) que fez o diagnóstico eu não pude fazer nenhum tratamento com ela, devido o preço da consulta. Sofro de dores que latejam e tenho a unha deformada. Quero saber qual o tratamento adequado.
Obrigada
Rita Suely

Adoa disse...

Querida Ritissima, primeiro devo informar que não sou médica. Tenho psoríase há muitos anos e comecei a escrever este blogue para reunir informação.

A nossa força está em saber o mais possível sobre o que temos, já que os médicos pouco nos sabem dizer sobre esta condição.

Eu não uso medicamento algum faz meses e devo dizer que não piorei, pelo contrário. Desde que comecei a fazer um curso de educação emocional melhorei bastante.

A psoríase tem um componente emocional muito forte, como qualquer dos outros tipos de reumatismo.

Sobre as informações reunidas, consegui perceber que é um problema inteiramente relacionado com o sistema imunitário que nos ataca.

O meu conselho - resolva os seus problemas com o passado. Mantenha-se calma, trate bem de si a todos os níveis. Coma correctamente, dê-se tempo para relaxar, receber uma massagem, fazer-se massagens, ouvir música suave, permitir-se pensamentos agradáveis, etc.

Eu massajo todos os dias a pele que tem lesões e digo-me que me amo. Em vez de usar as unhas para coçar quando tenho muita comichão, tento passar os dedos suavemente e acalmar.
Evito ver filmes que me possam enervar e deixei de ver noticiários. Apercebi-me de que havia uma relação directa entre as minhas dores e a tensão provocada por alguns filmes.

Aprendi a relativizar muita coisa. Aprendi que há muita, muita coisa mesmo da qual não me lembrarei daqui a 50 anos, nem terá importância nessa altura. Nós é que damos importância às situações que nem por isso poderão ser importantes.

Coma muita fruta e vegetais, de preferência biológicos, peixe também é muito bom. Evite carne, coma apenas 3 vezes por semana.
A vitamina E ajuda imenso.

Ginástica suave, caminhar e nadar, também recomendo.

E rodear-se de amigos e amor!


Espero ter sido de ajuda!

SusieQ disse...

Boa Tarde,
O meu nome é Susana Espínola tenho 25 anos e tenho psoriase desde os 5 anos de idade, tenho um filho com quatro anos e durante a gravidez tinha muitas dores nas pernas e costas. Desde o dia que o meu filho nasceu tenho andado com crises terriveis de dores nas costas. Moro numa ilha onde os medicos não abundam e infelismente levei cinco anos a fazer tratamentos para mil e uma coisa que só me deram outros problemas nomeadamente no estomago (devido á quantidade de medicamentos diferentes que andei a tomar). Em Setembro do ano passado desloquei-me a outra ilha para procurar ajuda e consegui ser encaminhada da forma mais correcta hoje sou uma paciente com artrite psoriatica, tenho as unhas todas com psoriase mas não me queixo delas comparado com as dores de costas e pernas que tenho diariamente. Procuro todos os dias mais informações acerca da minha (nossa) doença e a internet é a minha companheira. Neste momento quero ter um segundo filho, apesar dos medicos desaconcelharem, e um sonho que tenho e que vou fazer de tudo pra o conctretizar mas antes disso ando á procura de informações. Onde moro só há um reumatologista que vem 1 vez por mes e cada consulta que tenho são cerca de 15 minutos e nunca fico esclarecida apesar de ter de pagar muito dinheiro para ser atendida. Será que tem alguma informação para me facultar acerca do assunto? Vivo um dia de cada vez, mas sempre que falo com alguem que entenda da minha doença principalmente medicos, a reação deles é sempre de pena de mim, olho para eles e sinto que eles estam a ver em mim um destino não muito feliz, isso é tambem uma das minhas maiores preocupações visto que já tenho um lindo menino para acabar de criar e que gostaria muito de ser mãe novamente. Qualquer informação que tenha é me util descobri hoje o seu blog e já sou fã.
muito obrigado
Susana Espinola

Adoa disse...

Olá Susana.

Eu vi-me com o mesmo problema - não saber o que tinha e não ter informação acessível, por isso resolvi fazer este blogue. Tento compilar aqui informação e levar a pessoas que possam aproveitar e até ajudar com mais dados. Devo primeiro dizer que eu não sou médica.

Eu estou a controlar a minha psoríase através do trabalho com a minha raiva e uma pomada. Ao coçar as partes afectadas estou a fazer com que o sistema imunitário responda mais nessas zonas e isso é mau. Portanto, eu fiz a seguinte pergunta - o que me faz ter comichão? No meu caso é quando não gosto de alguma situação e não faço nada. Quando isso acontece acabo por me "vingar" na pele. Está a ver a relação?

Procure em si o que provoca estes ataques.

Outra coisa importante é não usar as pomadas e cremes na pele todos os dias. Dê um descanso de um dia ou dois e volte a usar poucos dias. Esta foi uma informação que uma médica me deu e que está a funcionar comigo muito bem.

Quanto ao facto de querer ter outro bébé, desejo-lhe imensas felicidades. Já sabe que as hipóteses de passar a doença é muito grande. Nada que o amor não ajude a superar.

Há terapias alternativas que têm resultado em muitas pessoas. Elas são o reiki, o método de Sedona e a reconexão.

Experimentei a reconexão e devo dizer que foi fantástico mas não retirou a psoríase ou as dores. Cada pessoa é uma pessoa... O método de Sedona (tenho aqui no blogue uma explicação) ajuda a libertar-nos do peso que é viver com estas doenças e isso ajuda imenso. É um primeiro passo para melhorar senão para curar.

O melhor mesmo que poderá fazer por si é cuidar-se com muito amor. Dar-se massagens e banhos moderados de sol. Fazer exercícios de relaxação e desporto. Acima de tudo, não se sentir presa a uma doença.

Cumprimentos
Adoa

Anónimo disse...

Fui dignosticada com psoriase no cotovelo há algumas semanas e o médico me disse que era a forma mais branda da doença. Meses depois sinto dores no joelho, pé e costas do lado esquerdo do corpo.Será que é artrite psoríaca ?

Adoa disse...

Olá!
Ser diagnosticada a apenas umas semanas, não trás a artrite psoríaca logo por arrasto. Geralmente as dores aparecem primeiro nas extremidades - dedos das mãos, depois pulso, cotovelo, etc. Mas não existem regras fixas!
Se as dores que está a sentir já estão relacionadas com a artrite? É provável, mas só pode ser afirmado por um médico licenciado e a confirmação pode demorar longos meses, anos até. É provável que ainda esteja na fase de Artralgia - dor sem manifestação da doença.
Deixe-me dar-lhe uns conselhos. Ame o seu corpo, aceite-o. Cuide dele sempre. O nosso corpo dá sempre sinais para nos avisar de que não está bem, aprenda a ouvi-lo. Um dos seus melhores amigos vai passar a ser a Nívea - não sei se existe à venda no Brasil. A nívea ajuda a prevenir o aparecimento de lesões noutras zonas do corpo. Use sabonetes e shampôos não agressivos. Eu uso um sabonete de alcatrão. Aprenda a relaxar e a meditar. Nadar ajuda imenso. Caminhe em jardins, À beira mar, etc. Não guarde raivas antigas - use almofadas e o sofá para descarregar tudo. Aprenda a chorar para libertar as tensões todas. Tudo isto ajuda imenso. A minha psoríase diminuiu imenso desde que passei a fazer tudo isto. Esteja sempre atenta ao evoluir das lesões psoríacas mas não stresse com elas. O evoluir das lesões vão lhe dizer se o que está a fazer está correcto ou não. É o corpo a falar directamente consigo.
A Louise Hay diz que a psoríase é provocada pelo medo de sermos magoados, por amortecer os sentimentos e o eu recusando-se a assumir responsabilidade pelos próprios sentimentos... Ela indica umas frases para repetirmos: "Estou viva para as alegrias da vida. Mereço e aceito o melhor que existe na vida. Eu amo-me e aprovo-me."

Desejo-lhe tudo de bom. Espero ter ajudado! Beijos